InfoJoia

RSS

Acompanhe os conteúdos publicados no InfoJoia por RSS.

Todo o conteúdo do Infojoia – link do RSS

LEIA TAMBÉM
TAGS
  • Artigo
  • Tendências
  • Mercado
  • PUBLICIDADE
    PUBLICIDADE
    PUBLICIDADE
        NEWSLETTER



       FORNECEDORES

    Cadastre sua empresa:

    77 empresas cadastradas e aumentando ...
    • Aumentar fonte
    • Tamanho normal da fonte
    • Diminuir fonte
    Tendências
    06/02/13

    Feliz 2014!

    Patrícia Sant´Anna falou sobre as macrotendências de mercado, moda, consumo e comportamento para médio prazo. Conheça em primeira mão as pesquisas, afine suas antenas e feliz 2014!


    Keila Redondo

    Neste início de 2013, olhamos além da linha do horizonte e entrevistamos Patrícia Sant’Anna, Diretora da Tendere  - Pesquisa de Tendências para Design, Moda e Beleza e nossa colunista de Moda & DesignPatrícia falou sobre as macrotendências de mercado, moda, consumo e comportamento para médio prazo. Conheça em primeira mão as pesquisas, afine suas antenas e feliz 2014!

    Patricia Sant'Anna

    Quais as macrotendências de comportamento para 2014?
    O grande impacto no comportamento do consumidor em 2014 será sem dúvida a Copa. Tal evento tem duas grandes consequências diretas no universo da joalheria: primeiro, a(s) cultura(s) do Brasil passa(m) a ser tema central, já que os olhos do mundo se voltarão para o nosso país; segundo, haverá uma avalanche de turistas internacionais (vindos tanto a trabalho quanto a lazer). Regiões que receberão os jogos, ou que sediarão os locais de treinamento sofrerão com mais intensidade esse impacto da Copa no país. Quem vem ao Brasil, quer sentir o Brasil, portanto, todas as frentes industriais que trabalham com criatividade (economia criativa), como moda, design, arquitetura, e sem dúvida, a joalheria, devem ficar atentas a esse momento. Os perfis de consumo dos torcedores de Copa do mundo são muito variados, pois eles advêm de realidades socioculturais diferentes. Mas em comum eles possuem um alto poder aquisitivo e são consumidores sofisticados. Prezam por produtos duráveis, sustentáveis e que lhes remetam rapidamente à experiência que tiveram ao vir ao Brasil. Devido ao público internacional presente no país, também é possível que haja uma grande quantidade de empresas internacionais se estabelecendo por terras brasileiras, para aproveitar a demanda da Copa e, depois, das Olimpíadas.


    O que indicam as pesquisas em termos de temas para 2014?
    As macrotendências desenvolvidas pela Tendere são sempre focadas no Brasil, mas em especial as de 2014 falam a respeito do país como foco de inspiração, porque as tendências de consumo para o país já falam do interesse no Brasil. Para tanto, apostamos em quatro grandes tendências:
    Ensandecida Criatividade: fala das manifestações populares (cultura popular, geralmente de cultura local) que se espalham e ganham versões Pop que conquistam todo o país. Referências: o filme 'O palhaço', Gaby Amarantos, festas populares de rua, hábitos cotidianos de um Brasil rural que já não é mais tão distante do mundo urbano, decoração de festas populares e do mundo rural, artistas populares, etc.
    Vida Fácil: busca pelo ritmo calmo em pleno caos urbano, busca de modo prático e jovial uma nova maneira de levar a vida, busca por conforto, fluidez e simplicidade, pelo equilíbrio entre casual e social na vida profissional. Referências: Los Hermanos, Tulipa Ruiz, Alfredo Volpi, artistas neoconcretos como Lygia Clark e Hélio Oiticica no começo de suas carreiras, etc.
    O Barroco Nosso de Cada Dia: imaginação que faz o estranho se tornar gracioso, excesso de claro e escuro, preenchimento total, sofisticação para criação excessiva, extravagante e sensual. Referências: igrejas barrocas baianas, Carmem Miranda, Ney Matogrosso, etc.
    Riscos Criativos, Presentes Inesperados: esta tendência fala da mistura entre local e global, fala sobre inovação radical, busca de um olhar crítico sobre o contemporâneo, exige, portanto, um público sofisticado. Referências: mundo urbano cosmopolita, Criolo, Adriana Varejão, pichações/grafites, galerias de arte alternativa como a Choque Cultural e a Casa da Xiclet.


    E sobre as joias, metais e pedras para 2014? 
    Ensandecida Criatividade: pede cores, muitas cores, brilho e formas populares e de fácil leitura.
    Vida Fácil: peças leves, elegantes, com uso discreto de cores, mais metal que pedraria, peças que precisam ser leves e práticas, para uso cotidiano.
    O Barroco Nosso de Cada Dia: pede trabalhos rebuscados em metal, acabamentos que dão tanto o ar de envelhecido evidenciando as sombras do produto, valorização das pedras nacionais de grande porte e  valor. Mistura de tons de metais também pode ser um recurso utilizado (ouro branco, rosa e amarelo misturados em uma mesma peça). Excesso não significa mau gosto, mas pelo contrário, para fazer boas peças dentro dessa tendência é necessário um designer com grande bagagem de peças pesadas muito sofisticadas.
    Riscos Criativos, Presentes Inesperados: peças experimentais, que juntam materiais inesperados, que arriscam novos caminhos. Essa tendência pode se utilizar de acabamentos diferenciados como estriados e foscos, materiais não preciosos com preciosos, etc. 


    O que se mantém e o que chega de absolutamente novo em 2014?
    Isso é difícil de afirmar, pois as tendências nascem umas das outras, elas são um continuum e não um rompimento dramático. O que vejo de absolutamente novo é a ampliação do mercado interno para o consumo de joias, já que a classe AB é a que mais vai crescer. Além disso, consigo perceber que motivos eminentemente brasileiros serão a bola da vez, pois o Brasil receberá a Copa. Assim, não é uma tendência local, mas sim global, olhar para a nossa cultura e criar a partir dela. Estrangeiros criarão coisas óbvias, pois sua intimidade com a cultura local é mínima. Nós poderemos criar coisas bem mais sofisticadas, e isso pode ser algo bem importante para firmar ainda mais nosso design internacionalmente, e estou falando de design no sentido amplo, isto é, mobiliário, moda, têxtil, objetos, e joias.


    A sustentabilidade continua sendo uma preocupação?  Como se manifestará?
    Sem dúvida! Ter um produto sustentável não será mais um 'diferencial', mas uma obrigação. O público tem que saber que o metal é de qualidade, e mais, tem que saber que no processo não há exploração desumana das pessoas envolvidas, ou mesmo que a proveniência não é duvidosa (isso é de roubo, destruição de mata, invasão de reservas indígenas etc.). A sustentabilidade se manifestará através do próprio consumidor, que pedirá certificados que lhe asseguram que ele não está comprando um ouro resultante de roubo, ou um diamante que em seu percurso matou diversos trabalhadores. A proveniência correta reflete-se em uma postura de empresa cidadã que não visa só os lucros, mas a construção de um país e uma sociedade mais justos.


    Qual o panorama para o mercado interno em 2014?
    Para além da Copa, o mercado nacional tem um panorama muito positivo, pois a estabilidade econômica continua e temos uma previsão de crescimento que indica que as classes AB crescerão substancialmente para 2014, a classe C (NCM - a nova classe média) continuará extremamente poderosa e dominando, por exemplo, o mercado de moda, as classes D e E começarão a despontar como importantes atores no cenário de consumo nacional. As classes AB podem não ser muito grandes, no entanto, são consumidores vorazes, responsáveis por mais da metade do consumo de moda do país: consomem marcas, valores intangíveis, compram por emoção e são exigentes com o Visual Merchandising (experiência de compra é algo fundamental para eles), compram imensamente por internet e a sustentabilidade é um argumento forte de consumo. A NCM é a queridinha do mercado nacional. Recém-chegada ao mundo do consumo, eles estão configurando pela primeira vez o protagonismo de sua condição de consumidor. Consomem agora, não esperam o amanhã. Compram a crédito e se possível adiantam prestações para se livrar o mais rápido possível da dívida. Gastam mais do que consomem. São majoritariamente afrodescendentes e possuem muitas mulheres como líderes da família, sobretudo no quesito decisão financeira. Prezam os estudos seus e dos filhos, porque veem na formação educacional um jeito de garantir não só o que já conquistaram, mas também de continuar a ascensão social através dos descendentes. Importante notar que essa consumidora em 2014 se tornou mais exigente, pois já não é uma consumidora tão novata quanto hoje, portanto, em 2014 essa mulher já terá mudado seu direcionamento, pois as suas atuais aspirações já foram conquistadas, ela já andou de avião, já tem um computador em casa para a família (um desktop), já possui internet discada, seus filhos estão todos, sem exceção, estudando de dia, ela já terminou a faculdade, tem um bom emprego e já conquistou o maior de seus sonhos: sua casa própria. Assim, suas expectativas para 2014 serão outras, e ela almeja mais: uma viagem para o exterior, um notebook, uma internet de banda larga ou 3G, escola particular para os filhos, fazer uma pós-graduação, ter um negócio próprio e uma casa de veraneio. Portanto, as joias não serão mais novidade, ela não estará comprando a primeira joia, e mais, passará a comprar joias para presentear e para si própria (e para uso no trabalho).

    Patricia Sant'Anna
    Diretora de Pesquisa da Tendere - Pesquisa de Tendências para Design, Moda e Beleza; coordenadora de Pós-Graduação em Negócios da Moda do Senac SP; docente da PUC Campinas; atua também como consultora independente da área de cultura, design e moda para instituições culturais como Líder do Grupo de Estudos em Arte, Design e Moda da Unicamp. É Doutora em História da Arte (Unicamp), Mestre em Antropologia (Unicamp) e Bacharel em Ciências Sociais (Unicamp).


    ÚLTIMAS ENTREVISTAS DE Tendências
    01/01/13

    Brigite Borja de Mozota

    Pioneira no estudo da Gestão de Design e doutora pela Sorbonne (Paris, França), é autora do livro “Design Management”, obra que já foi traduzida para 10 idiomas – inclusive português e chinês.

    01/01/13

    Renato Meirelles

    Sócio-diretor do Data Popular, instituto especializado em desenvolver pesquisas e estratégias relacionadas aos público das classes C, D e E, falou ao InfoJoia sobre a Nova Classe Média, contingente que abriga mais de 50% dos brasileiros

    Tendências
    COMENTÁRIOS